AlbâniaAlemanhaInglaterraArméniaPaís bascoBielorússiaBulgáriaCatalunhaCroáciaDinamarcaEspanhaEstóniaFinlândiaFrançaGalizaPaís de GalesGeórgiaGréciaHungriaIrlandaIslândiaItáliaImpério romanoLetóniaLituâniaMacedóniaMaltaNoruegaPaíses BaixosPolóniaPortugalRoméniaRússiaSérviaEslováquiaEslovéniaSuéciaChéquiaUcrânia
Se atingir este quadro directamente, clicar nesta relação para indicar as ementas.
Investigação personalizada

A cidade de Artà em Maiorca - O sítio de Ses Païsses

[Tópico anterior] [Tópico superior] [Próximo tópico] [Minorca] [Maiorca] [Ibiza] [Formentera] [Cabrera] [Acolhimento] [Site Home] [Via Gallica]
Rubricas[Fotografias] [Apresentação] [Situação] [Visitas] [Cultura] [Informações práticas] [Outros assuntos]Página editada

ApresentaçãoApresentação

Apresentação geralApresentação geral
O sítio arqueológico de Ses Païsses apresenta as ruínas do uma dos mais grandes, melhor conservados e mais representativas as aldeias da época talaiótica sobre a ilha de Maiorca. Esta aldeia encontra-se perto da cidade de Artà no nordeste de Maiorca; esta região possui numerosas outras aldeias talaióticas, que são menos espetaculares, como Sa Canova.

As construções da aldeia, cuja origem sobe mais de 3000 anos (fim da Idade do bronze), escalonaram-se sobre uma dezena de séculos, do XIII ou século X até ao século II antes de JC. Em 123 antes de JC produziu-se a conquista romana de Maiorca: a aldeia entrou em declínio e foi abandonada progressivamente e destruída.

O sítio de Ses Païsses foi classificado como Monumento histórico em 1946 e, como tal, protegidos.

SituaçãoSituação

O sítio de Ses Païsses encontra-se à cerca de 400 metros ao sudeste da cidade Artà. Desde o carrossel do Avinguda de Costa i Llobera (nome da estrada principal Ma-15 em Artà), perto da via ferrada, acede à aldeia por uma estrada estreita assinalada bem, o Camino de Sa Corballa. Perto do sítio há uma pequena área de estacionamento.

A aldeia talaiótica encontra-se sobre uma colina pouco elevada, de 120 à 125 metros de parte superior, no meio de um bosque de carvalho verde, ou azinheira, (Quercus ilex); desde esta posição, a aldeia de Ses Païsses era facilmente visível desde outras aldeias, como a aldeia de Sos Sastres, à 4 km à voo de pássaro.

Como outras aldeias talaióticas, Ses Païsses era situado perto de um curso de água, a fim de fornecer às necessidades de água dos habitantes. A Torrent Ses Terretes, uma confluência da Torrent des Revolts e da Torrent de Molinet, encontra-se à cerca de 50 metros ao sul do muro de recinto da aldeia. À 250 metros ao sudoeste da aldeia encontra-se uma fonte.

VisitasVisitas

A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Reconstituição da aldeia (autor Dreizung) - Clicar para ampliar a imagemA aldeia talaiótica de Ses Païsses tinha uma superfície de 10800 m², de forma oval (de 133 m está oeste e 103 m do norte ao sul), cercada por um muro de recinto de 374 m de perímetro.

A aldeia é abrangida em grande parte por um bosque de carvalhos verdes, de oliveiras e de alfarrobeiras, que torna difícil uma vista global do sítio. Contudo, pode-se distinguir dois grupos de construções diferentes: o primeiro grupo, dominado pelo talaiot central, consiste numa série de habitações e uma sala com os restos de três colunas, a sala hipostila. O segundo grupo, ao oeste, compreende duas habitações numa disposição absidal.

À entrada da aldeia encontra-se um monolítico dedicado à poeta regional Miquel Costa i Llobera que se inspirou em relação Ses Païsses para situar o lugar do seu poema “La deixa del geni grec” (1900).

Um caminho balizado bem permite explorar todos os rebaixos do sítio.

A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Plano do sítio (autor Pedro Servera) - Clicar para ampliar a imagem1. Estela à Miquel Costa i Llobera

2. Leva do sudeste - Entrada principal

3. Sala hipostila e sala de ferro à cavalo

4. Talaiot central

5. Leve do noroeste

6. Habitações em abside do oeste da aldeia

7. Habitações quadrangulares do Sul do talaiot

O Muro de Recinto
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - A porta do sudeste (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemO muro de recinto da aldeia de Ses Païsses é de construção menos antiga que a maior parte das construções internas da aldeia; a sua data de construção é considerada numa praia de 650 à 540 antes de JC. O muro teria sido construído quando conflitos estoiraram entre diferentes clãs.

A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - A porta do noroeste (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemTrata-se de uma construção ciclópea de 374 m de comprimento, uma espessura média de 3,60 m, e uma altura máxima de 3,50 m (à entrada sudeste da aldeia). A base do muro é constituída de enormes blocos de rochedo - alguns que pesa cerca de 8 toneladas - com mais pequenas pedras - para a maior parte agora dispersados - empilhadas acima; dentro, o muro era equipado de alinhamentos de pequenas pedras.

Parece que havia três portas de entrada neste muro de recinto. A porta de entrada principal encontrava-se ao sudeste (ponto 2 do plano), e compunha-se de dois blocos de pedra verticais com um terceiro bloco posto sobre os dois primeiros, como uma verga. A porta abre-se sobre um corredor longo de 4,3 m com uma escada de cada lado. Havia uma segunda entrada, de dimensão comparável, ao noroeste (ponto 5 do plano), mas a sua verga desapareceu. A terceira porta, mais discreto, encontrava-se ao sudoeste e dava acessos à uma fonte vizinha; a sua verga desapareceu igualmente.

O Talaiot Central
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Passagem do talayot (autor Dreizung) - Clicar para ampliar a imagemO talayot central da aldeia de Ses Païsses (ponto 4 do plano) é considerado como a construção mais antiga da aldeia: teria sido construído para o início do primeiro milénio antes de JC (para 900 ou 800 antes de JC). À origem, o talaiot teria era a única construção, servindo sem dúvida de torre de vigia, à cimeira da colina, com uma vista libertada sobre a campanha circundante.

A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - O talayot (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemO talaiot é uma torre, na forma de cone truncado, tendo 12 m de diâmetro à base; o seu muro maciço tinha 4,5 m de altura. Dentro do talaiot havia uma escada que permitia aceder um andar. Ao centro do talaiot elaborava-se um pilar que suportava um teto de ladrilhos de pedra que formavam também o pavimento do andar superior; este pilar hoje tem desaparecido.

Durante os séculos seguintes de outras construções foram apoiado contra o talaiot; estas novas construções serviam de habitações, e o talaiot pôde ser utilizado como lugar de cerimónias religiosas, ou como armazém e lugar de distribuição de alimento, mas não como habitação. Uma passagem baixa, mais ou menos de 0,75 m de altura, ligar a sala do talaiot à uma sala, nomeada hoje “sala hipostila”, situada ao nordeste do talaiot.

Para razões de conservação e de segurança, os visitantes do sítio não são autorizados de aceder ao talaiot.

A Sala Hipostila
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - A sala hipostila (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemA sala hipostila confina o talaiot central do lado é; ligar ao talaiot por uma passagem. A sala hipostila era utilizada provavelmente à fins comunitários.

É uma sala cerca de 12 m dos 8 m, com dois muros paralelos, um muro à ângulo direito e uma extremidade na forma de abside arredondada. Esta sala é nomeada “hipostila” devido às três colunas livres, situadas no meio da sala, e as sete outras colunas embutidas nos muros, que deviam suportar o telhado (do grego antigo hypostylos (ύπόστυλος) que significa “suportado por colunas”).

A Sala na forma de Ferro à Cavalo
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Sala de ferro à cavalo (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemAo lado da sala hipostila, e igualmente unida ao talaiot sobre o lado sudeste, encontra-se uma outra sala com uma abside na forma de ferro à cavalo. A sala de ferro à cavalo (ponto 3 do plano) foi datada do período tardio da aldeia (período posttalaiótico, de 500 à 123 antes de JC) pelos arqueólogos Lilliu e Aramburu.

A sala de ferro à cavalo tem uma superfície de 132 m². Os seus muros são feitos de pedras relativamente pequenas empilhadas em camadas horizontais.

As escavações efectuadas em 1959 e em 1960 lá ele descoberto vários lares com fragmentos de ossos, da cerâmica e o carvão de madeira. Um túmulo e um instrumento de ferro foram encontrados igualmente lá, que indica uma utilização ulterior do sítio.

As Habitações em Abside ao Oeste
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Uma rua ao oeste da aldeia (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemA aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - Habitações abside do noroeste (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemAo oeste da aldeia encontram-se duas habitações que têm uma extremidade na forma de abside (ponto 6 do plano).

Uma destas habitações possui um muro espesso, constrói com gordas pedras, que se intromete sobre o muro de recinto para além da aldeia. Os outros muros da habitação são construídos com pequenas pedras. As construções são divididas em três salas por muros de argila. Um das construções mais não foi habitado após um incêndio, mas servido de sepultura do Ve ao IIe século antes de JC.

Entre estas duas construções encontra-se a única rua da aldeia Ses Païsses descoberta até agora.

As Habitações Quadrangulares ao sul
A aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - As habitações quadrangulaires ao sul do talayot (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemA aldeia talaiótica de Ses Païsses em Maiorca - As habitações quadrangulaires ao sul do talayot (autor Olaf Tausch) - Clicar para ampliar a imagemAo Sul do talaiot encontram-se duas salas de plano retangular (ponto 7 do plano). Na estreia, que tem uma superfície de 25,7 m², pode-se ver a base do pilar central; um lar foi descoberto lá. Pensa-se que esta habitação foi ocupada do Ve ao 1 século antes de JC. Se encontraram mesmo vestígios que datam da época romana, por exemplo uma lâmpada da segunda metade do século II após JC.

A segunda habitação, de 37,5 m² de superfície, apresenta duas colunas dentro.

As Escavações Arqueológicas
As primeiras escavações arqueológicas foram efetuadas, de 1959 à 1963, aquando de quatro campanhas, sob a supervisão do arqueólogo italiano Giovanni Lilliu (1914-2012), destinadas a pôr em relação as construções maiorquinos com as da Sardenha (os nuraghi sardes). Os seus trabalhos levaram sobre a escavação da parte central da aldeia, o talaiot e todas as salas que unem, das quais surgem a sala hipostila e a sala na forma de ferro à cavalo. Para os seus trabalhos, Giovanni Lilliu vive-se entregar, em Novembro de 2008, a Medalha de Ouro de Artà.

Trinta anos atrasado, nos anos 1990, os trabalhos foram retomados pelo arqueólogo maiorquino Javier Aramburu que descobriu outra construção escavando outras partes da aldeia.

Cada ano desde 2004, escavações são efetuadas. A zona de escavação atual, ao sudeste da aldeia, pôs ao dia uma construção na forma de ferro à cavalo, e uma construção de plano retangular situada perto da entrada do sudeste.

Certos vestígios encontrados Ses Païsses, como cerâmicas e objectos de ferro que provêm das outras civilizações mediterrânicas, foram trazidos muito certamente fundaeiros das Baleares (foners), que, devido suas proezas com a funda, foram recrutados como soldados Cartaginenses durante as guerras púnicas (264 à 146 antes de JC); várias centena entre eles acompanharam Hannibal e os seus elefantes através dos Alpes em 218 antes de JC.

InformaçõesInformações práticas

Horas de visitaHoras de visita
Poblat Talaiòtic de Ses Païsses

Horários de verão (desde Abril até Outubro): de segunda-feira a sábado, 10:00 à 13:00 e 14:30 à 18:30.

Horários de inverno (desde Novembro até Março): de segunda-feira a sexta-feira, 9:00 à 13:00 e 14:00 à 17:00

Telefone: 00 34.619.070 010

Tarifa de entrada: 2 €.

Outros assuntosOutros assuntos

Filiação do assunto
Baleares > Maiorca > Condado do Llevant > Artà > Ses Païsses
Assuntos mais detalhados
Assuntos próximos
A cidade de Artà em Maiorca - O santuário de Sant Salvador
A cidade de Artà em Maiorca - O sítio de Ses Païsses
A aldeia de Colònia de Sant Pere em Maiorca
Assuntos mais largos
Página inicial
A cidade de Artà em Maiorca
O parque natural da península do Llevant em Maiorca
A cidade de Capdepera em Maiorca
A cidade de Son Servera em Maiorca
A cidade de Sant Llorenç des Cardassar em Maiorca
A cidade de Manacor em Maiorca
Tópico anterior ] [ Tópico superior ] [ Próximo tópico ]
Recomendar esta página :
Recomendar este sítio :
Investigação personalizada
Se atingir este quadro directamente, clicar nesta relação para indicar as ementas.